Guacamelee! – Luchadores são ótimos super-heróis

O que os clássicos Castlevania e Metroid tem em comum fora serem jogos ótimos? A aventura, a exploração, personagens cativantes, uma história que vai te conduzindo pelo cenário de forma magistral e o retorno às áreas já desbravadas com habilidades novas para abrir salas novas. Imagine bater no liquidificador tudo isso com Luchadores, gráficos bem interessantes e um beat´em up bem honesto, isso tudo é Guacamelee. E sim você leu Luchadores.

Depois de muito tempo de nhénhé eu finalmente comprei o meu tão sonhado Gacamelee. Antes de analisar os por menores do jogo eu tenho que dizer, que jogo ótimo, que sensação incrível de poder jogar isso, por que eu demorei tanto para comprá-lo nunca saberei.

 

 

Ponto Positivos:

História

A história é sempre contada in-game, há pouquíssimas cenas animadas.


Guacamelee é um jogo de progressão em 2D no qual você encarna o plantador de agave chamado Juan. Nosso personagem está na clássica solidão do herói, até que a filha do presidente volta ao vilarejo em que eles cresceram juntos. Então após o rapto da filha do presidente e da morte do Juan, você deve se transformar em um luchador para lutar contra as hordas de esqueletos lideradas por Calaca, bandido morto que tomou o inferno para si e que quer a nossa realidade. Relaxe quanto aos spoilers, você descobre tudo isso nos primeiros vinte minutos de jogo.

 

Jogabilidade

Prepare-se para xingar muito essas caveiras, principalmente nos desafios.

Como eu já disse antes Guacamelee é um jogo 2D, então prepare-se para pular sobre plataformas, correr correr muito mesmo pelos cenários, repetir desafios impossíveis exaustivamente, ficar pasmo e extremamente feliz quando conseguir passar por estes desafios e mecânicas de luta bem interessantes, ou seja, tudo que um velho gamer adorador de jogos de plataforma mais deseja nos jogos de hoje. No quesito batalhas é que entra o ponto que eu mais gostei no jogo, as lutas entre as caveiras e nosso herói são sublimes, é muito divertido gastar horas batendo nas caveiras utilizando as várias habilidades do luchador, interessante é que as mesmas habilidades que são utilizadas para navegar no mapa são usadas para as batalhas.

 

Desafio

Podem me chamar de noob, mas eu perdi algumas horas nesses desafios.

Esse ponto é realmente importante ser levantado, a dificuldade no jogo é bem ajustada ao jogador e não oferece desafios impossíveis, porém, vai exigir de você certa dedicação, ainda mais se você quiser pegar todos os upgrades. Esses últimos oferecem um esforço bem grande, alguns deles exigem de você muita habilidade, outros que você fique bem atento ao cenário. O que vai exigir muito mesmo de você será os desafios das peças da máscara, dois deles considerei impossíveis, mas após algumas horas foram devidamente vencidos.

 

Ponto Negativos:

Chefes

Os chefes tinham potencial para ser um desafio maior.

Esse sinceramente foi o único ponto negativo, não por que as lutas com os chefões do jogo foram ruins, muito pelo contrário. As lutas contra os chefões são dignas desse jogo e extremamente divertidas, porém escassas. Eu particularmente gostaria que houvessem muito mais chefes para se enfrentar, devido a diversão que foi enfrentar os poucos que há no jogo. No final do jogo senti que diante todos os enormes desafios que passei as lutas com os chefes foram bem fáceis, espera algo realmente mais difícil.

 

Então com uma jogabilidade de plataforma, combates de beat´em up, gráficos estilizados muito bem desenhados, batalhas empolgantes de chefes mesmo que poucos, uma trilha sonora bem interessante e uma ambientação nada usual fazem de Guacamelee um dos melhores jogos que joguei nos últimos tempos. Um conselho, não desista no final, vale a pena se esforçar um pouco mais no jogo para ver o final verdadeiro.

P.S.: Reparem nas homenagens feitas pelos desenvolvedores do jogo, sobrou homenagem até para o jogo do PS3/PS4 Journey.

A escrita desse texto teve como trilha sonora (repetida vezes sem fim):

Deixe uma resposta

Nome *
E-mail *
Site